ABLCALC

4 Coisas que o INSS Não Te Conta

A busca por informações claras e transparentes sobre o processo de aposentadoria no Brasil é uma preocupação constante para os trabalhadores. No entanto, há aspectos que muitas vezes não são devidamente abordados pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Neste contexto, é essencial explorar quatro pontos cruciais que frequentemente escapam à divulgação, impactando diretamente a experiência dos trabalhadores na conquista de uma aposentadoria tranquila.

Para ajudar, resolvemos falar sobre quatro coisas que o INSS não informa corretamente os segurados no momento da sua aposentadoria, fazendo com que o segurado tenha que recorrer sempre a um advogado, ou até mesmo sofrer prejuízos que podem não ser reversíveis.

  1. Trabalhos perigosos e a contagem especial de tempo
  2. Períodos trabalhados sem registro e a falta de informação
  3. Reversão de pedidos negados no INSS e a autonomia do requerente
  4. Trabalho autônomo para Pessoas Jurídicas sem contribuição

1. Trabalhos perigosos e a contagem especial de tempo

Embora o INSS reconheça a periculosidade de certas ocupações, nem sempre comunica de maneira eficaz que esses trabalhos podem contar de maneira diferenciada para o tempo de contribuição. Muitos trabalhadores expostos a condições adversas não têm conhecimento de que o exercício de atividades de risco pode acelerar o processo de aposentadoria. Esse é um aspecto crucial que muitas vezes fica subestimado e que merece atenção por parte dos trabalhadores que desempenham funções insalubres.

2. Períodos trabalhados sem registro e a falta de informação

O INSS nem sempre esclarece de forma abrangente a possibilidade de inclusão de períodos trabalhados sem registro formal no cálculo da aposentadoria. Muitos trabalhadores, por diferentes razões, podem enfrentar lacunas em seus registros previdenciários, e a falta de informação sobre como resolver essa situação pode prejudicar significativamente o planejamento da aposentadoria. Compreender que existe a possibilidade de incluir esses períodos é fundamental para garantir uma visão mais completa do tempo de contribuição.

3. Reversão de pedidos negados no INSS e a autonomia do requerente

Uma realidade nem sempre esclarecida é a possibilidade de reverter decisões do INSS sem a necessidade de contratar um advogado. Muitos solicitantes enfrentam a negativa inicial sem saber que possuem recursos e canais diretos para reverter essa situação. A falta de divulgação sobre os procedimentos administrativos pode fazer com que os trabalhadores se sintam desamparados, quando, na verdade, existem diversas formas de reverter essas decisões.

Entretanto, não recomendamos que o segurado faça toda a análise de seu caso e os seus recursos de forma independente. Encontrar um advogado especialista na área, e também um profissional qualificado para fazer os seus cálculos é essencial, e pode facilitar em muito todo esse processo.

4. Trabalho autônomo para Pessoas Jurídicas sem contribuição

O INSS muitas vezes deixa de comunicar de maneira clara sobre a possibilidade de reconhecer o trabalho autônomo para Pessoas Jurídicas, mesmo sem contribuição formalizada. Profissionais autônomos que prestam serviços para empresas podem não estar cientes de que, mesmo sem uma contribuição formal para a previdência, seu tempo de serviço pode ser considerado no cálculo da aposentadoria. Esse é um aspecto importante que muitas vezes fica à margem das informações fornecidas pelo INSS.

Em resumo, compreender todas as regras do sistema previdenciário é essencial para uma transição tranquila para a aposentadoria. Neste ponto, nós da ABLCalc estamos a disposição para realizar uma análise completa, confiável e clara para que a conquista da aposentadoria seja tranquila. Conte conosco!